terça-feira, 28 de junho de 2016

O amor é apenas uma brincadeira

Ela acordou com raiva da vida. Com raiva dos amigos. Da família. Com raiva de tudo e de todos. Mas principalmente com raiva dele. Pra inteirar, todo mundo acorda de mau-humor por qualquer coisinha boba. Mas na noite anterior, tinha deixado dezenas de mensagens no whatsapp, todas visualizadas e nenhuma ao menos respondida. O que estava aprontando aquele sem-vergonha de quem ela gostava pacas? E mais gritante: ver as mensagens dela chamando e nem responder a uma sequer. Ela não o perdoaria por isso. 
Ela talvez não goste de Love hurts e tudo bem!
Era domingo. Ela levantou, escovou os dentes, fez café e foi ouvir algum rock de seu deleite. Talvez Bon Jovi, mas não se sabe. E ficou lembrando do grande amor da vida dela – com raiva, mas amando-o como sempre – mas não perderia tempo sem ouvir sua música predileta.

Mais tarde ele ligou. Ela não atendeu logo de pronto. Com o dia passando ela tinha pensado o motivo deveras importante dele não tê-la respondido a noite. Ele ligou de novo e de novo e de novo. Ela mais tarde atendeu e começou a pedir milhares de explicações: com quem estava, como estava e por que estava. E mais ainda; por que não a tinha respondido as mensagens no whatsapp. E ele – apaixonado e paciente – começou a explicar em miúdos cada pergunta minuciosamente perguntada e igualmente prontamente respondidas. Ao menos ele tentava.

Love hurts - o amor fere!

Tudo ela tinha entendido e aceitado. Menos quando ele disse que tinha passado a noite bebendo alguma coisa – talvez vinho – e pensado muito nela. E quando ele disse que a noite toda ouvira Love Hurts do Nazareth. Uma, duas, n vezes. Repetidas vezes.

Uma afronta pra ela. Ela não gostava de Love Hurts, apesar de gostar sobremaneira do Nazareth. Por que o amor fere mesmo.


Talvez o amor seja apenas uma mentira mesmo. Uma brincadeira. Uma brincadeira boba e sem sentido!

Uma geração de babacas

Por Valdecir Ximenes, que nunca foi um babaca.

Impressionante como em tempos em que as oportunidades batem as portas, uma parcela considerável da população não queira aproveitá-las e ainda chacota de quem as ver com entusiasmo e as querem aproveitar.

Uma geração de babacas assumidos cada vez mais crescente entre nós. Um povo que quer vida boa, mas não querem nem trabalhar nem estudar. Uma molecada que quer ostentar com carros, festas e fanfarra, mas não querem nem de longe estudar, prosperar e ou trabalhar para um dia alcançar o que almejam. E assim se tornam cada vez mais extremos: imbecis, preguiçosos e “sonhadores” em ter uma vida de ouro que por ventura caia do céu.
Alguns ainda assumem a sua babaquice!

Vejo uns moleques que quer ir pras festas com um professor x ou um professor y nos seus carros – pra dançar, beber, curtir, ostentar com eles – mas em sala de aula não querem estudar como eles um dia estudaram para serem bem-sucedidos como o são agora. 

A geração de babacas que está emergindo pensa que o que os professores têm agora – estabilidade, um emprego, casa, carro, moto e uma projeção social melhor –, caiu dos céus como os manás que choveram do céu no conto bíblico. Santa paciência!

Debilóide: mil passarão à tua direita e outros mil passarão à tua esquerda e tu não pode se deixar afetar!
E ai o cara diz: “mas estuda para ser alguém na vida”. E o carinha rir da tua cara. Ou então quando tu diz: “estuda pra ser como o professor x” e o carinha fica com preguiça. Vai entender essa geração de babacas que, na maioria dos casos, escolhe ser babaca com toda intensidade, a mil por hora.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

PARAMOS POR UM TEMPO INDETERMINADO

Brecamos por um tempo!
Haja vista uma carga boa de compromissos, e a consequente falta de tempo pra escrever, eu resolvi parar por um tempo o meu projeto, o blog Crônicas do Boqueirão. Não sei quando voltarei, mas sei que voltarei um dia com força para escrever aqui. Gosto de escrever e esse canal (o blog) foi o primeiro lugar que vim a fazer isso com periodicidade, por isso irei voltar a faze-lo algum tempo mais adiante.

A gente vai amadurecendo e tentando preencher a lacuna de responsabilidade que foi feita durante os tempos mais descompromissados. A vida ocupa a gente demais e nos força a entrar de sola nela, por que se não ela nos nocauteia e nos vence logo de primeira.

E como bem disse O Velho Raul: "Eu tenho uma porção de coisas grandes pra conquistar e eu não posso ficar aí parado". Raul Seixas tinha razão.

Avante!! Muitíssimo obrigado.
O muito agradecido, Valdecir Ximenes.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Esse texto é uma defesa dos políticos

Isso mesmo. É uma defesa dos nossos representantes. Uma defesa dos políticos. Eu os defendo, enquanto alguns fingem odeia-los, mas vou fundamentar devidamente o meu ponto de vista em favor deles.

Como sabemos [e vemos] é recorrente na nossa ignorância política dizer os clichês que todo mundo que diz: ser contra a corrupção, contra os políticos corruptos, contra a roubalheira. Repetem com repugnância, como se alguém fosse a favor disso tudo. É um clichê fajuto dizer que se é contra a corrupção, pois ninguém jamais argumenta que é a favor da corrupção [nem mesmo os corruptos e corruptores]. E aí, como forma de compensar a nossa ignorância política, nós abestados que somos, destilamos todo um discurso de ódio aos políticos, ou seja, a nós mesmos, já que somos animais sociais e portanto, políticos. E o coringa do jogo tá mesmo é lá encima.

Bom. Esse texto não justifica [e não admite] os políticos realmente corruptos, lacaios e roubadores da coisa pública, do dinheiro público. Porém, sendo verdade que existe corrupção na Política, também é verdade que existe muito político bom e de caráter fixo que lutam diuturnamente pelo bem da política e pelo bem de todos nós. Se não, vejamos: é graças aos políticos honestos que temos água encanada, luz elétrica, saneamento básico, educação, etc. O simples fato de eu estar escrevendo esse texto depende [e muito] dos políticos, pois se eles quisessem aprovar uma lei ditatorial [se fosse consenso entre eles] proibindo-me de escrever e externar meu ponto de vista, eu não estaria nem aqui. Você sabe das ditaduras, né?

Ora mas são corruptos todos eles, grita um ignorante ali. São ladrões blasfema outro abestado acolá. Na verdade ladrão e corrupto é o cara que não sabe em quem votou e depois fala mal arrogantemente da classe fundamental que é classe dos políticos, a melhor classe que existe. A verdade é que o cara chama os políticos [que são nossos reflexos] de ladrões, mas vai à igreja dos [alguns] pastores ladrões e corruptos todos os dias e religiosamente. Xinga os políticos mas acha lindo aquele empresário que enricou explorando o povo [que serviu como massa de manobra e trampolim para ele], especulando encima de dinheiro desonesto. A moça alardeia aos quatro cantos que é contra o político que não faz nada, mas ama o Luan Santana que também, curiosamente [ou não], não faz nada pelo Brasil ou, no mínimo, por ela.

Assim temos que pensar mesmo que o político é a melhor [ou a pior, às vezes, é verdade] opção que temos. Você jamais vai ter a chance de dizer um não bem grande, através do voto [que por si só é uma ótima ferramenta] a um empresário, a um pastor, a uma empresa, a um padre ou a um cantor que você julga que são corruptos e não fazem nada pelo Brasil. Mas você vai ter a chance de dá um NÃO bem grande a um político. Agora ou daqui a quatro anos.


Pense nisso. 

terça-feira, 13 de outubro de 2015

E o Juan Rodriguez continua...

Fazendo covers fantásticos.

Dessa vez o Juan Rodriguez faz covers de Love Hurts, da banda escocesa Nazareth, do Guns N' Roses e do grande timoneiro do rock, o eterno rei Elvis Presley.

Aqui é Suspicious Minds do Elvis Presley

E aqui é Love Hurts do Nazareth

E tem muito mais. O cara faz cover do Pink Floyd, do Guns (of course), do Metallica, do Manowar, do Rod Stewart e de muitos outros. 

É só ir lá no canal dele no youtube e pimba: rock'n'roll de todo tipo!

Sites para obter o mais importante: conhecimento.

Vasculhando esse imenso universo que é a Internet, eu sempre acho algo bacana. E dessa vez eu resolvi compartilhar um site que agrega muito valor a quem é sedento por conhecimento; um site da Univesp.
Resultado de imagem para descoberta criança
Uma descoberta de ouro.
Segundo o próprio site "A Univesp TV é o canal de comunicação da Universidade Virtual do Estado de São Paulo, a quarta universidade pública paulista e visa ao incentivo à formação integral do cidadão. Nosso objetivo principal é apoiar o aprendizado dos alunos de cursos da Univesp, através de programas específicos e também de interesse geral.
No ar desde setembro de 2009, foi o primeiro canal digital do País a apresentar programação própria, diversa da transmitida pelo correspondente canal analógico; o que representa um pioneirismo da Fundação Padre Anchieta e da TV Cultura.
De segunda a domingo, das 7h15 às 2h00, a Univesp TV exibe a sua grade com programas de produção própria, cursos e sucessos produzidos pela BBC, Channel 4, Open University, PBS e Europe Images, entre outras.
Também trasmitimos aulas de disciplinas de cursos regulares de graduação e pós-graduação de USP, UNESP e UNICAMP como: Metodologia da Economia, História das Relações Internacionais, História da Música, Geometria Analítica, Física, Cálculo entre outros. Programas como Complicações, Educação Brasileira, Ensino Superior, Desafios da Educação e Fala, Doutor, discutem os temas relevantes do momento, com foco, principalmente, na Educação."
O site oferece varios cursos, tanto da UNICAMP, UNESP e coisas boas da programação da TV CULTURA.
Um curso que estava assistindo é a aula ministrada pela Professora Dorotéa Kerr, do Instituto de Artes da UNESP, intitulado História da Música
Segue aqui, parça: História da Música